Você está aqui

IV Seminário sobre Uso Eficiente do Etanol

25 de Outubro
Jundiaí Tech Center da Mahle - Rodovia Anhanguera km 49,7 (sentido interior – capital SP) - Jundiaí - SP
Proposta

O Workshop apresenta e discute a substituição do diesel por etanol, as questões técnicas, a quem interessa e as ações para viabilizá-la.

A especificação do diesel e da gasolina pelas refinarias e dos respectivos motores pela  indústria automobilística evoluíram ao longo de mais de um século de forma simbiótica levando à produção de veículos cada vez mais eficientes e menos poluentes em um processo que ainda está longe de acabar.

O mesmo não aconteceu com o etanol, combustível homogêneo naturalmente especificado, com propriedades particularmente adequadas aos motores de combustão interna. É usado hoje em motores projetados essencialmente para usar gasolina que não tiram proveito das excelentes propriedades do etanol.

Recentes desenvolvimentos de motores a etanol indicam que, além das vantagens ambientais, são mais compactos, podendo inclusive competir com motores diesel.

A quarta edição do Seminário Etanol Eficiente discute a possibilidade de substituir diesel por etanol tanto em veículos leves quanto pesados, avaliando as questões tecnológicas, principais barreiras e perspectivas para seu uso.  

O uso eficiente do etanol, além dos impactos ambientais e sociais favoráveis, afeta positivamente a economia dos consumidores e dos agentes na sua cadeia de produção. Os avanços tecnológicos nessa matéria têm mais chance de se efetivarem no Brasil, mas podem interessar agentes nos EUA e, de forma crescente, em diversos países como a Suécia e a França, onde o uso do etanol tem crescido. Veículos a etanol, finalmente, dão à indústria a oportunidade de atender um crescente nicho de mercado junto aos interessados na economia de baixo carbono.

Sobre o INEE: criado em 1994, o INEE promove e desenvolve ações para caracterizar e racionalizar as cadeias energéticas, das fontes primárias ao uso final. Em sua atuação, o INEE procura contribuir para eliminar imperfeições de mercado que levam ao desperdício de energia. Uma das linhas relevantes tem sido o aumento da eficiência nas cadeias energéticas da biomassa, tanto da cana de açúcar quanto a da lenha, com a melhora de práticas de produção e redução de barreiras comerciais, de modo a liberar potenciais importantes para a economia e reduzir agressões ao meio ambiente do país (www.inee.org.br).

Público-alvo

Agroindústria da cana, Fabricantes de Automóveis, Investidores Institucionais, Agências Reguladoras, Licenciadoras e Financiadoras dos Governos Federal, Estadual e Municipal relacionadas aos temas de Energia e Meio Ambiente e Centros de Ensino e Pesquisa.

Patrocínio
Organização

Menu principal